CIENTISTAS CRIAM DISPOSITIVO QUE FUNCIONA COMO "CAPA DA INVISIBILIDADE"

A imagem mostra o estudante Joseph Choi demonstrando o funcionamento das lentes que deixam qualquer coisa invisível (Foto: J. Adam Fenster/University of Rochester/Reuters)A imagem mostra a mão do estudante Joseph Choi demonstrando o funcionamento das lentes que deixam qualquer coisa invisível (Foto: J. Adam Fenster/University of Rochester/Reuters)

Cientistas criam dispositivo que funciona como 'capa da invisibilidade'


Método de americanos utiliza lentes que fazem objetos desaparecerem.
Experimento ajudaria a evitar pontos cegos que atrapalham motoristas.


Atenção, Harry Potter, você pode não ser o único a ter uma capa da invisibilidade. Cientistas da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, descobriram uma maneira de esconder grandes objetos com a ajuda de lentes, uma tecnologia que parece ter surgido das páginas da série de fantasia Harry Potter, da autora britânica J. K. Rowling.

Os pesquisadores americanos utilizaram lentes baratas e prontamente disponíveis para fazer um objeto desaparecer da visão de quem enxerga por elas, enquanto tudo que está ao seu redor continua normal. O método foi chamado de “Capa de Rochester”, apesar de não ser bem uma capa.
“Pelo que nós sabemos, esse é primeiro dispositivo de camuflagem tridimensional e multidirecional”, explica Joseph Choi, estudante de graduação que ajudou a desenvolver o método.O dispositivo se parece com um equipamento utilizado por um optometrista. Quando um objeto é colocado por trás das quatro lentes, ele pode desaparecer.

Durante o experimento, o grupo usou uma mão, um rosto e uma régua. Cada um desses “itens” se tornou invisível através das lentes. De acordo com o Choi, a técnica pode ser aplicada em várias áreas, incluindo na medicina, nas Forças Armadas e na execução de obras de arte.
Uma das aplicações práticas, por exemplo, seria evitar os pontos cegos que atrapalham os motoristas. O dispositivo custou pouco mais de US$ 1.000 e, segundo seus desenvolvedores, pode custar ainda mais barato.
O método foi chamado de "capa de Rochester", uma alusão à capa da invisibilidade descrita na história de Harry Potter (Foto: J. Adam Fenster/University of Rochester/Reuters)O método foi chamado de "capa de Rochester", uma alusão à capa da invisibilidade descrita na história de Harry Potter (Foto: J. Adam Fenster/University of Rochester/Reuters)
O dispositivo de camuflagem utiliza quatro lentes e foi desenvolvido na Universidade de Rochester, nos Estados Unidos (Foto: J. Adam Fenster/University of Rochester/Reuters)O dispositivo de camuflagem utiliza quatro lentes e foi desenvolvido na Universidade de Rochester, nos Estados Unidos (Foto: J. Adam Fenster/University of Rochester/Reuters)

Cientistas mostram 'capa da invisibilidade' com nanotecnologia

Modelo utiliza o mesmo princípio responsável pelas miragens.
Folha de nanotubos de carbono foi utilizada pela Universidade de Dallas.


Cientistas dão mais um passo 
na criação de um tecido invisível

Novo material flexível pode parecer invisível a olho nu.
Pesquisadores do Reino Unido são responsáveis pelo projeto.


Agencia EFE
Tecido invisívelPinça segura membrana do 'Metaflex'.
(Foto: Divulgação)
Cientistas da Universidade de Saint Andrews, no Reino Unido, anunciaram a criação de um material chamado “Metaflex”, que dá mais um passo à fabricação de tecidos que permitam criar o efeito da invisibilidade dos objetos. Usando átomos minúsculos que podem interagir com a luz, os pesquisadores desenvolveram um novo e flexível material inteligente que, teoricamente, pode parecer invisível a olho nu.
O Metaflex é um material artificial (meta-material) que apresenta propriedades eletromagnéticas incomuns, que procedem da estrutura projetada, e não de sua composição. No passado, foram desenvolvidos meta-materiais que canalizavam a luz para tornar invisíveis os objetos em longas longitudes de onda, mas a luz visível representa um desafio maior. A pequena longitude de onda da luz do dia faz com que os átomos do meta-material precisem ser muito pequenos, e até agora estes átomos menores só puderam ser produzidos sobre superfícies planas e duras, incompatíveis com os tecidos das roupas.
A novidade apresentada por este trabalho é que o Metaflex consta de membranas flexíveis de meta-material, criadas graças ao emprego de uma nova técnica que permitiu liberar os meta-átomos da superfície dura sobre a que foram produzidos.
Desta maneira, o Metaflex pode atuar em longitudes de onda de 620 nanômetros dentro da região da luz visível. A união destas membranas poderia produzir um "tecido inteligente", que seria o primeiro passo para fabricar uma capa ou qualquer outra peça para "fazer desaparecer" à pessoa que a vista.
 

Novo estudo aprimora material para fazer 



capa de invisibilidade




Tecido ainda não é eficaz para objetos tridimensionais.
Tecnologia também pode melhorar funcionamento de fibras óticas.



Nathan Landy, autor do estudo, exibe o material que pode ser usado como uma capa de invisibilidade (Foto: Universidade Duke)Nathan Landy, autor do estudo, exibe o material que
pode ser usado como uma capa de invisibilidade
(Foto: Universidade Duke)
Um estudo publicado pela revista científica “Nature Materials” registra mais um passo dado pela ciência em direção à confecção de uma capa de invisibilidade.
O material foi desenvolvido por uma equipe da Universidade Duke, nos Estados Unidos, que já tinha elaborado um material semelhante em 2006. A nova criação é uma evolução do objeto criado seis anos atrás.
A capa criada inicialmente é feita de fios de fibra de vidro, entalhada com cobre. Na nova versão, os pesquisadores entrelaçaram fios de cobre com esses fios, criando um material mais complexo, que também é mais eficiente que o original.
O resultado é um material capaz de quebrar as ondas de luz em duas. Dessa forma, é como se a luz desse a volta no objeto que fica envolto pela capa, e assim ele fica invisível. Apesar de absorver a maior parte da luz, o material ainda reflete algumas ondas, logo ainda não é uma capa perfeita de invisibilidade
Nathan Landy, autor do estudo, disse ainda que a forma como o material altera as ondas de luz pode ser aproveitada em outros campos. Segundo ele, a tecnologia pode ajudar a criar fibras óticas mais eficientes.Além disso, o princípio só foi aplicado em duas dimensões, e adaptá-lo para o campo tridimensional – o que é necessário para que a capa realmente exerça sua função – é um desafio muito mais complexo.
Fonte:http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2014/09/cientistas-criam-dispositivo-que-funciona-como-capa-da-invisibilidade.html