MANUAL DE ETIQUETA PARA O USO(SAUDÁVEL) DE APARELHOS ELETRÔNICOS

Manual de etiqueta para o uso (saudável) de aparelhos eletrônicos

Que tal aprender a impor limites à nossa conectividade? Siga nossas dicas, desligue os aparelhos eletrônicos e reconecte-se com o mundo real

Ilustração VIDA SIMPLES

Ligue-se neste manual de etiqueta para o uso (saudável) de aparelhos eletrônicos e desligue-se.
Ilustração: Camila Lisbôa

Essa dica não está nos manuais de instrução, mas é preciosa para o uso equilibrado de celulares, máquinas fotográficas, aparelhos de som portáteis e internet. "Precisamos aprender a impor limites quando utilizamos essas ferramentas. Elas foram feitas para descomplicar nosso dia-a-dia, mas acabam criando uma dependência que não é boa", diz a consultora de comportamento Cláudia Matarazzo.

O importante é maneirar no uso para não trocar os relacionamentos reais pelos virtuais. E usar as traquitanas sempre respeitando o outro. Ligue-se neste manual de etiqueta para o uso (saudável) de aparelhos eletrônicos e desligue-se.

Desligue o celular no cinema, teatro, espetáculos e salas de aula.
 Faça o mesmo em restaurantes calmos e reuniões de trabalho. Nesses casos, se estiver esperando uma ligação importante, deixe o aparelho no modo silencioso e na hora de atender peça licença e afaste-se para não atrapalhar.

Não deixe o celular ligado ao dormir com o pretexto de usar o despertador o telefone fixo da casa pode ser usado em urgências.
 Cuidado com os toques alegrinhos do celular. Escolha um som suave e breve, afinal as pessoas à sua volta não são obrigadas a ouvir La Cucaracha.
Evite papear sobre assuntos particulares em público: a conversa pode deixar os outros encabulados. Se estiver com alguém, é indelicado ficar olhando para checar se recebeu uma chamada. E não ligue antes das 9 nem depois das 22 horas, a menos que já tenha combinado.

Falar ao celular é liberado em espaços públicos abertos, bares, cafés, no táxi, na sua mesa de trabalho. Celular no carro só com viva-voz, para não comprometer a direção. Retorne a ligação se alguém deixar recado na caixa postal. E, quando ligar, pergunte primeiro se a pessoa pode falar no momento.

Dê preferência às conversas ao vivo e em cores. Valorize quem está bem ali na sua frente e deixe para conversar no celular depois, quando estiver sozinho.

Não utilize tocadores de MP3, CD e rádio em ambientes profissionais ou em espaços que você divide com outras pessoas passa a impressão de alienação e falta de interação com o mundo. Cantarolar em lugares fechados é crime aos ouvidos alheios. E não se esqueça de tirar os fones quando alguém se dirigir a você. É deselegante e sinal de falta de educação ficar com os fiozinhos no ouvido diante das pessoas.

Aperte o pause ou abaixe o volume do aparelho ao entrar em ambientes restritos como lojas, elevadores e transportes coletivos. Com os fones no ouvido, cria-se um universo particular mas lembre-se de que os espaços públicos muitas vezes exigem a interação com os outros. Maneire também na empolgação dançar ou batucar no ritmo da música (que você está ouvindo) pode ser constrangedor.

Ouça música à vontade ao caminhar em espaços abertos, onde não há a preocupação com o trânsito e com os pedestres, como parques, praças e praias. Perfeito para se distrair em viagens longas (quando você não é o motorista). O aparelho é um bom companheiro na prática solitária de atividades físicas. Útil para ouvir e dançar em casa sem incomodar os vizinhos nem passar vergonha.

Selecione uma trilha sonora especial para o lugar aonde vai. Assim, o passeio com o cachorro e até uma ida maçante ao supermercado viram um programaço.

Fotografar é proibido em teatros e casas de espetáculo. Com a popularização das máquinas digitais e celulares com câmeras embutidas, as fotos passaram a ser tiradas a torto e a direito. Para não se tornar um fotochato, use o bom senso: em eventos discretos e momentos de intimidade, guarde sua câmera fotográfica.
Desligue o flash quando o fotografado precisar de concentração (palestras e apresentações em geral). É educado pedir licença antes de fotografar pessoas desconhecidas. Em ambientes onde é permitido usar a máquina, seja discreto. Perceba se as pessoas querem ser fotografadas em determinada situação no bar, na piscina, ou na balada, por exemplo. Também fique atento se, ao fotografar, você não está invadindo o campo visual e atrapalhando quem está nas proximidades.

Os cliques estão liberados em ambientes públicos abertos, eventos comemorativos, festas e na maioria dos shows. Cuidado com a síndrome do turista oriental: em vez de sair clicando tudo o que vê pela frente, tire algumas fotos e dê um tempo à sua câmera. Não deixe de viver experiências para ficar fotografando. O melhor registro ainda é aquele feito com os próprios olhos. Não há câmera que substitua essa recordação.

Experimente meditar enquanto está fotografando. Contemple por instantes o lugar e só clique quando se sentir tocado por algo você pode se surpreender com um novo olhar.

Piadas, correntes e arquivos com imagens pesadas só atrapalham a vida de quem recebe as mensagens. Não envie e-mails para 1 milhão de pessoas, use o recurso da cópia oculta. E-mails, como qualquer correspondência, são confidenciais. Quem compartilha computadores deve ter isso em mente, para não invadir a privacidade alheia. Não acesse conteúdo duvidoso da internet de outros computadores.

Use a linguagem abreviada só para e-mails informais. Cuidado com brincadeiras ou discussões por e-mail. A segurança na rede não é perfeita, e o e-mail é um documento, uma carta assinada que poderá ser usada contra você. Tenha cautela com o que você acessa na internet do seu trabalho não entre em sites de namoro, de joguinhos, de conteúdo pornográfico e tudo que não seja pertinente ao trabalho.

De seu computador pessoal, o uso da internet é livre. Se quiser privacidade, tenha uma senha de acesso. Um e-mail deve ser respondido em, no máximo, dois dias. Exceção para e-mails com correntes ou só para leitura. Se estiver ausente, deixe um aviso automático em sua caixa postal.
Não vire escravo da internetEstabeleça um tempo razoável por dia. O mesmo vale para conversas online e salas de bate-papo virtuais.

E se bater uma dúvida, volte a este manual. 

Fonte:http://vidasimples.abril.com.br/temas/manual-etiqueta-uso-saudavel-aparelhos-eletronicos-237092.shtml?